segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Celebrar em poesia

Quão f’lizes podem ser as nossas vidas
Se as musas do infinito procuramos
Se as emoções explodem incontidas
No eixo da razão, então, cantamos.

Na folha de papel, noites vencidas,
No respirar das horas costuramos,
Letra a letra, obra a obra, prometidas,
No pulsar da caneta que encontramos.

Na folha branca teimamos bordar
Inspirados na musa predilecta
Ou num passado que nos faz sonhar

Quando a Lua é o manto do poeta,
Quando vem em seu sono celebrar
A paz que em poesia se completa.



Cecília Rodrigues-2013
"IN Hoje é o tempo"
Postar um comentário